Do aqui e até lá

Não posso conter o sorriso quando o meu sonho começa a tomar forma. Estou seguindo para Recife a fim de registrar toda a minha obra poética, incluindo o meu primeiro livro. Ainda falta outra parte da caminhada que estabelecer o orçamento com a editora, mas até aqui só posso me sentir feliz. 
Recebi as ilustrações que acompanharão alguns dos poemas. Roberto Nascimento mais uma vez alcança os traços dos meus desejos. E essa congruência de linguagens me inunda. Transbordo só de imaginar a poesia nas minhas mãos.
Certa vez eu tive dúvidas sobre quem eu deveria ser. Sentia o receio de assumir pra mim mesmo essa diferença estética, a arrogância desprovida, o ultraje da poesia. Foi então que me disseram: ”a sua presença é fazer poesia no mundo”. E eu fiz disso a minha maior crença.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *