Putaria




O prazer é uma indústria de pernas abertas. Pessoas são objetificadas sem o mínimo pudor. Não há espaço para a troca. Tudo é precoce. Até a ejaculação às vezes. Mas a satisfação mútua é diferente do gozo. Aqui é pagou – levou! Todo mundo mete, mas ninguém se percebe. A puta também é uma pessoa.
PUTARIA” é um poema que lembra que toda entrega tem o seu preço. Seja aquele que come ou aquele que alimenta todos tem que abrir mão de algo. Dinheiro, orgulho, vergonha ou intimidade são as moedas de troca por minutos de prazer. Só não é possível mensurar o valor ou saber quem realmente goza no final.


***

Um comentário sobre “Putaria

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *