Vaidade





A vaidade é um desencanto disfarçado de prioridade. Cultivamos a ilusão da beleza, a prepotência do orgulho, a presunção da certeza apenas pela massagem do ego. Há um egoísmo doentio quando a vaidade toma o controle do ser humano. O indivíduo não enxerga mais nada, não precisa de nada nem de ninguém – vira um deus ensimesmado.

Vaidade” é um poema que alerta sobre o perigo do espelho. O culto a si mesmo é no fundo um sinal da falta de crença no coletivo. O vaidoso é um fanático por suas qualidades e um ateu para os seus defeitos. Esse ciclo vicioso só pode ser quebrado quando o indivíduo assume a beleza de ser diferente sem a tolice de querer ser o maior.





***

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *